Meus conselhos a quem procura uma pós-graduação.

Desde que comecei a escrever no LinkedIn, uma quantidade relevante de pessoas tem me questionado se vale a pena investir numa pós-graduação, e mesmo não sendo pago para aconselhar me preocupo com a resposta, pois é um grande investimento financeiro e profissional para eu responder igualmente a todos.

Cada pessoa vivencia uma situação específica, com diferentes objetivos e experiências profissionais.

Por isso escrevo motivado a atender estes em dúvida, da mesma forma sincera que fiz quando dei Meus Conselhos aos Iniciantes no Comércio Exterior, você não verá aqui dicas óbvias de artigos patrocinados por instituições de ensino e com aqueles depoimentos mais mentirosos que da época do Orkut.

achievement-adult-business-937481
– Meu salário aumentou 50% depois de concluir o MBA! – Enzo Valentino, 25 anos, que hoje ganha 1.800 reais na empresa que trabalha desde os 18 e exige usar terno e gravata. Fonte da imagem

Confesso que escrevo também para mim, creio que servirá como uma reflexão para quando eu decidir realizar a próxima. E, que fique claro, não estou cansado de ajudar no privado, Ok? Todas as dúvidas me ajudam a refletir, pois são diferentes perspectivas que elevam nossa sabedoria, portanto fiquem à vontade para me procurar.

Defina um objetivo viável.

Se seu trabalho patrocina uma porcentagem alta (ou toda) da pós, é um bom estímulo, mas não esqueça de conferir quanto tempo você terá que continuar no mesmo trabalho depois de se formar – essa exigência por parte do empregador é perfeitamente legal, viu? Outras (poucas) empresas têm aumento de salário automático assim que se apresenta um diploma de especialização, mas estes dois são incentivos, não objetivos.

Seu objetivo é crescer no emprego atual? Então converse com seus superiores e veja se eles entendem que uma pós poderá ser positiva para o exercício da sua função na empresa. Outro objetivo pode ser também o de melhorar a formação acadêmica no currículo.

Importante definir também, se deseja se especializar ou generalizar, claro que há prós e contras para cada área, sugiro ler mais sobre este assunto no artigo da Flávia Gamonar.

Para responder esta questão é preciso considerar o tipo de carreira, as funções que o profissional precisará desempenhar e até mesmo seus objetivos e anseios pessoais. Acaba passando também pelo perfil da pessoa.

Leu no tópico a palavra Viável? Respeite sua condição financeira, não vá financiar um curso em 2 anos, se daqui 6 meses existe o risco de estar desempregado. Empregadores valorizam quem estuda e tem paixão por aprender, não precisa ir para Harvard, talvez bons cursos específicos online lhe bastem.

Não vá sem experiência prática.

images
Fonte

Esse foi o maior erro no meu MBA, pois quando iniciei tinha apenas 2 anos de experiência prática. Foi proveitoso discutir com os colegas e professores todas as recentes situações que enfrentei, pois na pós discute-se muito do que acontece na prática.

Aprendi muito sobre a vida das Trading Companies, Agentes de Carga, Despachantes Aduaneiros, zonas primárias além de outros segmentos, como exportação e importação de alimentos, construção civil, motores elétricos, mas tenho a sensação que teria absorvido mais se tivesse iniciado após 4 ou 5 anos de experiência.

Vai ajudar seu network (se fizer a sua parte).

Talvez seu objetivo seja fazer uma pós em Comex para conhecer pessoas que lhe ajudem a arrumar um trabalho nessa área, acho mais barato e seguro contratar um Job Hunter, mas se quer mesmo fazer isso na pós e lhe falta o conhecimento técnico, então mostre ter postura e inteligência emocional.

Tive um colega de turma que tinha esse objetivo e terminou a pós sem arrumar qualquer trabalho (a economia estava bem, na época), tinha na faixa de 30 anos, dava aula de inglês, hum… inglês, meio caminho andado para o Comex, certo? Seria, se ele não pedisse cola para todo mundo em toda santa prova e nas apresentações de trabalho fazia questão de ler texto apenas sobre a parte mais fácil.

Eu comecei a sentar longe dele nos dias de prova, depois que isso aconteceu:

– Psiu, hey, Jonas! Qual a resposta da 2?

– É matemática financeira! Não vou te explicar o cálculo todo!

– Então deixa eu ver sua prova, passa aí.

– …

Mas criar um networking é mais fácil se já estiver na área do curso, porque para que se aproximem de você é preciso ter experiências e dividir com os demais, a fim de receber de volta, claro que eu não me tornei o especialista em tudo, mas depois da importância de saber fazer, é valioso que você:

Conheça quem entenda do assunto.

E lembre-se que o network não acontece apenas no coffee-break da aula, participe/organize almoços no final de semana ou uma ida ao barzinho depois da aula.

Dormindo
E não vá fazer transbordo do barzinho para Green Valley, Shed, Warung…. Você já aprendeu na faculdade que estudar por osmose não funciona. Fonte

Avalie seus colegas.

É bem provável que aconteça na primeira aula aquela rápida apresentação individual de cada aluno – nome, idade, onde mora e onde trabalha. Nesse momento, tem muito bocó mexendo no celular ou sequer chegou na sala ainda, mas a informação nesse momento é valiosa! Preste atenção, claro que vamos nos enturmando por afinidade, mas tenha o bom senso de trocar ideia com quem mais pode contribuir.

Avalie currículo dos professores.

Esse material costuma vir em anexo quando solicitamos saber mais do curso (e de brinde milhões de spams). O que buscamos em uma pós-graduação é mais experiência prática, certo? Então pesquise o que os professores fazem fora da sala de aula, procure o LinkedIn e as empresas em que atuam, valorize seu tempo e dinheiro com bons professores.

Professores ruins na arte de ensinar todo curso tem, mas informado sobre o histórico profissional dele você pode fazer as perguntas certas.

Evite fazer a pós na mesma instituição que se graduou.

Esse foi o triste conselho que recebi de alguns colegas de trabalho que se formaram comigo na graduação, eles acabaram fazendo a pós na mesma instituição em que se formaram bacharéis, pois havia desconto especial para ex-alunos e, infelizmente, os professores da graduação se repetiram na pós, as matérias eram iguais e evidente que não tinham muita experiência nova para agregar, a frase que ouvi mais de uma vez foi:

‘’Parece que eu tinha voltado para a faculdade para estudar nos finais de semana”

Imagine, mesmo corpo docente, estrutura, professores e alguns casos até os mesmos colegas.

***

Como sempre faço para evitar os Haters, os conselhos são baseados na minha experiência pessoal no Comércio Exterior e não é minha intenção encher linguiça com conselhos óbvios como ‘’Confira a instituição de ensino’’ ou ‘’Você é responsável por tirar proveito’’, entendo que escrevo para adultos e responsáveis.

E você, leitora (o)?

Já fez uma pós e concorda/discorda? Tem outros conselhos para contribuir? Tem outras dúvidas? Vamos continuar a conversa nos comentários!

E antes de ir embora, não esqueça de me seguir e fechar a porta 🙂

Quem é o Jonas?

É um cara formado em comércio exterior, que trabalha há mais de dez anos com  importação, compras e logística internacional, e continua apaixonado pela falta de rotina que essa vida tem! Agora ele quer dividir essa experiência com todos, de forma simples e bem humorada.

Além de aprimorar a escrita no Linkedin, pratica artes marciais, enfrenta eternamente sua pilha de livros, joga vídeo game desde o Atari e também curte ajudar os outros profissionalmente.

Talvez ele possa te ajudar, que tal procurá-lo?

2 comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.