A Sociedade do Cansaço está presente no Comércio Exterior

Faz mais de 6 meses que li o livro do filósofo sul-coreano Byung-chul Han, mas foi preciso reler, pesquisar e refletir sobre como a Sociedade do Cansaço está presente no Comércio Exterior.

Não se limita à nossa área: de acordo com o estudo do IBOPE Inteligência, 98% dos brasileiros apresentam algum nível de cansaço físico ou mental e dois em cada três (63%) já acordam indispostos e cansados.

Mas aqui, somos sobrecarregados em volume de importação e exportação, por vezes ignorando a complexidade do processo e da dificuldade que é lidar com certos clientes.

E muitas das vezes a culpa é nossa, por aceitarmos tudo que vem.

Sim, temos boletos para pagar, mas digo por experiência própria e dos colegas de profissão – veja meus argumentos para discutirmos nos comentários.

Sai a Sociedade Disciplinar, entre a Sociedade do Desempenho

“A sociedade do século XXI não é mais disciplinar, mas de desempenho, seus habitantes não se chamam mais ‘’sujeitos da obediência”, mas “sujeitos de desempenho e produção”. São empresários de si mesmos, nesse sentido, aqueles muros que delimitam os espaços entre normal e anormal, se tornam arcaicos”. – Sociedade do Cansaço

É fácil vermos a Sociedade Disciplinar no modo que nossos pais trabalhavam.

Havia horário para começar, almoçar, tomar um cafezinho e ir embora. A forma de trabalhar era engessada em rigorosos procedimentos, sem permitir chegar no mesmo resultado por caminhos diferentes.

O sucesso se resumia em trabalhar com disciplina, fazendo a mesma coisa por muitos anos, para alcançar o American Dream.

Uma imagem contendo edifício, carro, ao ar livre, estrada

Descrição gerada automaticamente

Diferente da minha geração (estou com 33 verões) e os mais novos, nós prezamos pela liberdade, queremos ser valorizados e pagos conforme nosso desempenho, somos responsáveis por nossa disciplina, procedimentos são necessários, mas eles não podem oprimir nossa criatividade.

Não estou afirmando que a Sociedade Disciplinar acabou e ninguém mais bate ponto, estamos na transição das duas, mudanças dessa amplitude levam décadas.

Assim como o modelo da Sociedade Disciplinar foi explorado até resultar na rebeldia contra ele, como no movimento Punk (Rock, não a Levada da Breca), a Sociedade do Desempenho já demonstra sintomas preocupantes na forma com que trabalhamos com o Comércio Exterior.

Momento nostalgia, de 1984.

Na presente Sociedade do Cansaço, é quase um crime se entediar

“Quem se entendia no andar e não tolera estar entediado, ficará andando a esmo inquieto, irá se debater ou se afundará nesta ou naquela atividade. Mas quem é tolerante com o tédio, depois de um tempo irá reconhecer que possivelmente é o próprio andar que o entendia. Assim, ele será impulsionado a procurar um movimento totalmente novo”. – Sociedade do Cansaço

Escrever e palestrar me permitiu conversar mais com líderes de empresas do Comércio Exterior e algo que a maioria deles reclama é a dificuldade de contratar e manter jovens inexperientes por mais de 3 meses.

Além de descobrirem que não vão (tão cedo) viajar pelo mundo a trabalho, não são capazes de assumir uma função de assistente com trabalhos repetitivos, pois não suportam o tédio, aliado aos vícios de crer que estão destinados a grandes feitos no mundo e que o que fazem não é tão importante.

Foi no meu primeiro trabalho que aprendi a traduzir, descrever e classificar fiscalmente (NCM), lá desenvolvemos um banco de dados com mais de 3000 produtos diferentes.

Além disso, a experiência melhorou meu inglês técnico e a compreensão de como um fiscal da Receita analisa esse trabalho, pois aprendi, na base da repetição, que nem sempre basta seguir a NESH e as Regras Gerais para Interpretação do Sistema Harmonizado para ser compreendido.

E existem aqueles que conseguem superar o tédio da repetição, mas jamais aprendem o ofício com qualidade, porque usaram da falácia de ser…

Multitarefa

“A multitarefa está amplamente disseminada entre os animais em estado selvagem. Trata-se de uma técnica de atenção, indispensável para sobreviver (…), o animal está obrigado a dividir sua atenção em diversas atividades. Por isso, não é capaz de aprofundamento contemplativo – nem no comer nem no copular”. – Sociedade do Cansaço

Certeza que já tem casal otimizando o sexo enquanto assiste seriado ou olha as redes sociais.

O autor explica no livro que a multitarefa gera excesso de estímulo, consequentemente a falta de foco e reflexão na tarefa, não permitindo nos aprofundarmos para absorver o aprendizado, pois a atenção é ampla, mas rasa, à beira do automático.

Uma imagem contendo objeto

Descrição gerada automaticamente

Entenda, você não multiplica sua atenção na Multitarefa, você a divide.

Apenas máquinas executam várias tarefas ao mesmo tempo, o ser humano que divide a atenção no trabalho, além de errar mais, demora mais para concluir, pois reinicia um mesmo trabalho diversas vezes.

Consequentemente, acabamos cansados por fazer tanto e desmotivados devido ao baixo desempenho. a falácia da multitarefa é um dos principais males da sociedade do cansaço e sabemos como é presente no comércio exterior.

A Sociedade do Cansaço coage para competir contra si mesmo e os outros.

“(…) o próprio senhor se transformou num escravo do trabalho. Nessa sociedade coercitiva, cada um carrega consigo seu campo de trabalho. A especificidade desse campo de trabalho é que somos ao mesmo tempo prisioneiro e vigia, vítima e agressor. Assim, acabamos explorando a nós mesmos. Com isso, a exploração é possível mesmo sem senhorio”. – Sociedade do Cansaço

As redes sociais e ausência de paredes nos escritórios estimulam para que vejamos o desempenho um dos outros e, assim, nos cobrarmos a fazer mais.

No trabalho, vemos o desempenho nas comissões, nos KPI e SLA, nas premiações e, também, nos nomes de cargos – que inflam o ego com uma descrição mirabolante e em inglês.

“Sou apenas um Assistente de Vendas, meu sonho é atualizar o LinkedIn com o cargo Business Sales Intelligence Development Analyst e desfilar com um crachá igual ao da Renata e do Bruno.”

E quando consegue, sequer desfruta da conquista e já baixa a cabeça para ralar mais ainda, mas hey, ficou bonitão esse nome na assinatura do e-mail!

Nas redes sociais, ao invés de compartilhar experiências e conhecimento, utilizamos o espaço unicamente para autoafirmar o “sucesso” através de posses, dizendo se tratar de #tbt ou de #gratidão, mas na verdade é apenas #ostentação.

Vi pessoas no Instagram usando #comex em foto de viagem de lazer, POR QUE ESSA BIRRA DE TER QUE VIAJAR PARA FAZER COMÉRCIO EXTERIOR?

O cansaço acaba com a nossa ira para dizer CHEGA a tanta produtividade e positividade

A ira é uma capacidade que está em condições de interromper um estado, e fazer com que se inicie um novo estado. Hoje, cada vez mais ela cede lugar à irritação ou ao enervar-se, que não podem produzir nenhuma mudança decisiva. (…) Ela representa um estado de exceção. A crescente positivação do mundo torna-o pobre em estados de exceção”. – Sociedade do Cansaço

Na Sociedade do Desempenho queremos liberdade para alcançarmos nossos resultados, mas insistimos em compará-lo no trabalho e nas redes sociais e, para crescermos com nomes de cargos e fotinhos de viagem no Insta, utilizamos a positividade como motivação.

  • Cuida de mais um processo
  • Pega mais esse cliente
  • Absorve mais essa função
  • Acorda um pouco mais cedo para responder o chinês
  • Você consegue, sim
  • Você dá conta, sim
  • Vai com #positividade que tudo é possível

E a cada “só” e “sim” que a sociedade do cansaço fica mais presente no comércio exterior.

A positividade é um veneno homeopaticamente aplicado para fazermos mais, até que o cansaço se torna constante pois não vemos quando ultrapassamos nossos limites e não temos como comparar.

Pois o estado de cansaço se tornou normal e nosso foco está em se comparar com outros, que também estão cansados de tanto ostentar resultados.

Nós precisamos da Ira, do Tédio e da Negatividade

Sabe o que esses três estados têm em comum? Eles causam interrupção do estado de fluxo.

Estar em modo constante de desempenho e positividade lhe levará a um comportamento automático e repetitivo de execução, que é justamente o estado de fluxo com o qual precisamos ter cuidado para não acabarmos sendo substituídos por robôs.

A Ira nos alertará quando estamos sendo pressionados além de nossa resiliência, o Tédio permitirá que absorvamos e reflitamos sobre o trabalho realizado (nada de multitarefa!) e a Negatividade é necessária para pararmos de prometer que vamos conseguir embarcar durante o Ano Novo Chinês.

Acreditar que vai dar certo com a positividade, ter interesse por novos desafios e ser complacente por fazer mais (com seus devidos cuidados) é necessário, mas é preciso equilíbrio com seus opostos.

Recomendação de leitura

O que tratei aqui é uma fração das reflexões que esse livro me proporcionou. Em tempos de busca pela alta performance, lembre-se que é necessário pisar no freio para refletir.

Você pode comprar o livro clicando aqui ou na imagem.

Transparência: Faço parte do programa de Associados da Amazon, a compra por esse link monetiza meu site sem encarecer o produto… E a recomendação é genuína.

E você, leitora(o)?

Não sou Coach, Filósofo ou profissional de Recursos Humanos, apenas associei minhas experiências e opiniões com os aprendizados que obtive lendo, para me preocupar com o quão presente a Sociedade do Cansaço está no comércio exterior.

Tampouco creio que levantar paredes e sair completamente das redes sociais irá resolver, o problema aqui é como estamos nos cuidando individualmente.

Como este é um artigo baseado na minha opinião, sei que existem diversos “poréns” no que disse, então vamos abrir o espaço dos comentários para discutirmos mais!

Conte-nos suas experiências, opiniões, se já leu o livro e como tem evitado o cansaço.

1 comentário em “A Sociedade do Cansaço está presente no Comércio Exterior”

  1. Pingback: Quando começar um Setor de Importação dentro da empresa? - Jonas Vieira

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.