3 dicas básicas de como reduzir custos na importação.

É parte primordial da profissão em Comércio Exterior de buscar como reduzir custos na importação e exportação. Se executar o serviço for sua única preocupação, seus custos operacionais irão inevitavelmente subir, ainda que beeem devagarinho.

Como se não bastasse o dólar acima de R$5,00 e o STJ reintegrando a capatazia no Imposto de Importação, nem tivemos ainda o pior impacto do Coronavírus no ComEx.

Tudo isso e só em março.

Para combater estes contratempos, podemos buscar reduções nos trabalhos básicos com o propósito de que seus resultados se destaquem no volume de processos.

Por isso, separei as 3 dicas abaixo que visam ajudar os mais variados segmentos e, para que sejam simples, não abordarei complexidades como: investir em tecnologia ou montar um setor de importação.

Dica 1 – Monte um time de prestadores de serviço na importação.

Foto por fauxels em Pexels.com

Seu despachante aduaneiro, agente de carga, áreas alfandegadas e transportadoras são capazes de te ajudar com ideias de como reduzir custos na importação.

Entretanto, não será com um time formado por apenas um prestador de cada que você terá grandes avanços! Afinal, independentemente do tamanho, nenhum deles é capaz de prestar um serviço com mesma qualidade e preço em todas as hipóteses:

  • Um agente de carga pode ser melhor em atender em certas rotas e modos de embarque que outro;
  • A especialidade dos Despachantes Aduaneiros varia conforme o produto e onde é feito o desembaraço;
  • Os serviços prestados por áreas alfandegadas são diferentes a depender da estrutura; e
  • Transportadora alguma é competitiva no Brasil inteiro;

Portanto, tenha mais de um preparado para te atender, especialmente se importar variados produtos por diversas regiões, além de verificar se os preços estão competitivos, eles serão também um Plano B.

Desenvolva-os, não os desgaste.

Todavia, quando digo ter um diversificado time, é com o objetivo de que todos tenham a chance de te atender, não simplesmente para leiloar valores, tanto que um dos principais ensinamentos do texto porque é melhor desenvolver fornecedores, do que bater por preço é:

Se priorizar preço, receberá por aquilo que pagou.

E raramente será o que você busca.

Caso algum pare de te responder depois de tanto incomodá-lo pedindo desconto, significa que você foi demito por ele e está desenvolvendo uma péssima fama no mercado.

Dica 2 – Busque reduzir os custos de importação em diferentes INCOTERMS.

Foto por Tom Fisk em Pexels.com

Tendemos a padronizar as compras, assim como os INCOTERMS na importação, e isso pode estar comprometendo a oportunidade de reduzir custos.

Se o exportador não tem experiência com Comércio Exterior (ou seja especialista em dar trabalho) o ideal é comprar EXW, mas ao negociar com outro fornecedor, experimente cotar no FCA/FOB, afinal, se ele manjar de exportação, conseguirá te passar melhores valores.

Semelhante estratégia pode ser aplicada aos agentes de carga, a experiência deles com cada país de embarque varia e podem apresentar bons valores para importar no EXW.

Nada de importação Prepaid!

Pelo bem do seu sistema imunológico (e também do seu despachante aduaneiro), tão necessário durante a pandemia, evite ao máximo possível importar com frete incluso, foram raríssimas as situações que vi ajudarem a reduzir custos na importação.

Já mostrei 5 razões para não fazê-lo, caso seja realmente inevitável (sei que acontece), então dê uma conferida nas dicas para reduzir custos do Prepaid.


Dica 3 – Defina como embarcar considerando os custos de armazenagem

Foto por Tom Fisk em Pexels.com

Se você acha que:

  • O modo de embarque se decide comparando apenas valor de frete;
  • Embarque aéreo é só para carga urgente; e
  • Não tem como importação FCL ser mais barata que LCL.

Você não só está deixando de economizar como está praticamente queimando dinheiro!

E se foi algum prestador de serviço que te disse isso, ele está te assessorando MUITO BEM, similarmente ao seu gerente de banco dizendo para você investir em Título de Capitalização #SARCASMO.

Em grande parte de minha atuação na importação sempre foi mais viável importar no modo aéreo que no marítimo consolidado, em conclusão ao comparar o frete junto dos custos de armazenagem de onde realizaria o desembaraço.

Assim como influenciará no custo do transporte interno – há despachantes que cobram valores diferentes conforme o modo de embarque, neste sentido, confira o que deve saber antes de importar por marítimo consolidado.

Encare reduzir custos na importação como uma oportunidade na carreira.

Foto por Startup Stock Photos em Pexels.com

A verdade é que realizar apenas o trabalho operacional de rotina dificilmente irá te destacar e proporcionar novas oportunidades perante seus clientes e chefes.

Contudo, você precisará encontrar tempo fora da operação para fazê-lo. Sei como o volume de trabalho é gigante, somado às metas de vendas e à mitigação dos erros, mas

veja essa mudança de mentalidade como uma forma de tentar deixar o cargo de Assistente ou Analista para trás.

Experimente analisar seus colegas, tanto de dentro quanto de fora de sua empresa, quantos estão buscando analisar processos e contestar as informações? Verá, provavelmente, que são poucos os que o fazem.

Pode ser pelo volume de trabalho, por preferirem (ainda que inconscientemente) o comodismo de agir como um robô, ou por acreditarem que este não é seu trabalho.

A escolha é sua.

E você, leitora(o)?

Estas foram só 3 dicas, consegue pensar em outras simples para ajudar a reduzir custos na importação? Já aplicou alguma destas? Qual foi o impacto financeiro? Sua experiência nos comentários enriquecerá o assunto.

Este artigo foi escrito com os amigos da LogComex e publicado originalmente em blog.logcomex.com


Para acompanhar meus próximos textos e trabalhos, assine minha newsletter para receber por e-mail, prometo que ele será guardado com carinho e sem Spam 🙂


Marcações:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.